Reaberto em 2015, com a mesma Gerência

sexta-feira, 20 de julho de 2007

Hotel Polana

Resolvi inaugurar a nova rubrica, que como já foi dito aparecerá sempre a 20 de cada mês, com um Hotel de nome mítico. Situado em Moçambique, na sua capital, o Polana, um cinco estrelas cheio de charme, ostenta de novo a aura dos seus melhores tempos. Depois de duas décadas de conflitos e dificuldades, que deixaram cicatrizes a todos os níveis, a cidade e o País recuperam gradualmente. Recuperando um posto que já foi seu, o Polana é um dos ex-libris de Lourenço Marques, voltando a ser ponto de passagem e encontro de elites.
Actualmente, o Polana divide-se entre o hotel principal e o Polana Mar, o primeiro num estilo clássico, o segundo com um estilo mais moderno e executivo, bem em cima da Baía, com uma vista arrebatadora para o índico. Situado na zona nobre da cidade, entre os bairros de Sommerschield e Polana, a 10 minutos do centro da cidade e do Aeroporto Internacional.

Importa referir que o Polana Mar, apesar de dispor dos serviços do Hotel Principal, é um quatro estrelas.



Quartos:
164 Quartos e 23 Suites com banho privado, secador de cabelo, ar condicionado, TV satélite, telefone, acesso à Internet, mini-bar (opcional). Serviço café/chá e cofre (opcional).
Características Gerais:
Constituído por 2 edifícios - Polana - situado no edifício principal e Polana Mar - situado num edifício com vista sobre o mar, possuem restaurante, salão de chá, 2 bares, campo de ténis, piscina, bowling green, ginásio, aeróbica, sauna, posto médico (diariamente até às 16h00, cabeleireiro, serviço de câmbios, centro de negócios e casino).

Serviços e lazer : Nos magníficos jardins e piscina com a vista sobre a Baía, poderá jogar xadrez na sombra da frondosa árvore-da-borracha ou, se preferir usufruir do campo de ténis, utilizar o ginásio equipado com monitores, banhos turcos e aeróbica. Como serviços adicionais encontrará casino, cabeleireiro, banco, agência de viagens, tabacaria, galeria de arte e rent-a-car. O restaurante, salão de chá e bares fazem parte dos serviços do complexo Polana. Para quem vem a negócio, 7 salas de reunião e de conferências com uma capacidade entre 6 a 300 pessoas estão ao seu dispor.

"... a piscina do hotel, o fio de coqueiros e o pôr-do-sol ... essa era a forma como o mundo se ordenava ... quando existia o paraíso”. A deixa pertence a Miguel, personagem de Lourenço Marques, o último romance de Francisco José Viegas. O paraíso refere-se à capital de Moçambique, Maputo, e a piscina e os coqueiros pertencem ao Polana, o mais emblemático dos hotéis desse país. O edifício, concebido nos anos 20 por Sir Herbert Baker, é um monumento ao esplendor da cultura europeia, na época em que a opulência ditava o bom gosto. Após 1975 entrou em declínio, tendo sido remodelado há cerca de 10 anos, dando continuidade ao seu estatuto de um dos melhores cinco estrelas do continente africano. Desde o hall, revestido a mármore, aos jardins generosos em estrelícias e coqueiros, nada é deixado ao acaso neste escaninho luxuoso, que se prepara para nova reestruturação. Curiosamente, não é apenas procurado por viajantes exigentes, mas também pelos próprios maputenses, devido à cozinha requintada e à pastelaria – o chá com scones e o cozido ao domingo são dois clássicos –, à piscina – a mais cobiçada de Maputo – e até ao ginásio. É ainda um dos lugares da cidade que são frequentados para ver e ser visto. Deixe-se tentar. Vai ver que não se arrepende...



• Hotel Polana, Av. Julius Nyerere, 1380, P.O. Box 1151 Maputo, Tel.: 00 258 1 491001/9, Fax: 00 258 1 491480; E-mail: res@polana-hotel.com.mz; http://www.polana-hotel.co.mz/. Representante do Hotel Polana em Portugal e Espanha: Reactor, Rua Rodrigues Sampaio, 19 - 5º D 1150-278 Lisboa, Tel.: 213 582 058/59. Quarto duplo a partir de € 185 dólares (pequeno-almoço incluído). No Polana Mar (uma nova ala do hotel), preços desde € 165 (suplemento p/duplo em ambos os quartos: + € 20). É o mais elegante e célebre hotel de Maputo, um ícone do país.

18 comentários:

manuel araujo disse...

As minhas horas de almoço são sagradas. São para navegar na net:)
Paulo, continuação da saga africana e, por mim, continuo por lá. Fantástico país, com um hotel dos tempos coloniais, com enorme fama.

Parabéns pelo post

renata ristori disse...

Paulo, k belo local para umas merecidas férias. Paradisíaco, com aquele toque k adoro, numa arquitectura colonial, longe dos hotéis impessoais construídos hj, em kk parte do mundo.

Beijos,

carlos mendes disse...

Era precisamente o que eu precisava. Um local destes, por longos 15 dias, com todas as mordomias incluídas, com uma vista fantástica e com um serviço de 5 estrelas. Rejuvenescia-me, tenho a certeza.

Uma braço,

Ana Sofia disse...

Dá mesmo vontade de passar lá uns dias. E adoro tudo o k se relaciona com África. Ai quem me dera também uma longa temporada, hospedada com luxo:)

Bjos,

Maria Rosário disse...

Maravilhosa escolha, como sempre. É já uma imagem de marca vossa: a excelência.
Até me imagino ali, refastelada numa espreguiçadeira, com um bom romance nas mãos e aquele mar, à nossa frente.

Bjos

madalena brandão disse...

K local paradisíaco, mantendo a ligação ao continente africano, em grande estilo. Já tinha ouvido falar do Polana e estou agradavelmente surpreendida pela qualidade. Num país ainda a recuperar da devastação da guerra e com tantas carências, não deixa de ser surpreendente ver um 5 estrelas.

Parabéns por mais um belo post

maria clarinda disse...

Onde é que se embarca?:)
Pelo aspecto (e já fui à net ver o site), é um local esplendido.
Quem me dera...

paulo ferreira disse...

As vossas escolhas são contraproducentes. Provocam sempre um enorme desejo de vê-las, ao vivo, mas depois...caimos na realidade, que é a de contar todos os tostões. O hotel tem estilo, a localização parece perfeita e, para um 5 estrelas, os preços até que nem sã muito elevados, mas o problema é mesmo ir até lá. Viagem de avião, taxas, profilaxia da malária, segundo disseste anteriormente, levam um homem à ruína.

Um abraço

raul coelho disse...

Amigo Paulo, é um lugar de sonho, como aliás é o vosso blogue. Excelente texto, num blogue que rivaliza com qualquer revista de viagens.

Um abraço,

luis ferreira disse...

Ócio, o meu desporto favorito. E aí, no Polana, com as mordomias todas, com a água do Indico a banhar-me os pés, aposto que me sentiria feliz. Sonhar não custa:)

jorge almeida disse...

Paulo, eu sei t�o bem o que isto �. Tamb�m eu j� l� estive, nesse Polana que ra, por direito pr�prio, o maior s�mbolo de uma Louren�o Marques cosmopolita. Belo, iluminado, com um ambiente de sofistica�o, onde se passeavam algumas das belezas da cidade, eram umas tardes t�o bem passadas. E as bra�adas na piscina, as conversas sem fim com vista para o oceano. Magn�fico e ao mesmo tempo nost�lgico. Eu quero l� ir. Ali�s, eu hei-de l� ir...

sandra miguel gomes disse...

Aparenta ser um local paradisíaco e, com essa vista de que falas, para pleno Oceano índico, será um local de culto. Não custa acreditar, pelas fotos, que o conforto prometido vale bem o dinheiro pedido. É pena que eu não o tenha:)

ricardo disse...

Vocês continuam na labuta. E bem, acrescento eu. Óptimas rubricas, e eu que já cá não passava à algum tempo, estou agradavelmente seduzido. De novo.

Parabéns

gil oliveira disse...

Bem, claro que apreciei, mas fico a aguardar pelo próximo mês. Pode ser uma proposta mais em conta:)

Um abraço,

ricardo melo disse...

Paragens longínquas, mas que nos dizem muito. Ainda com alguns resquícios da colonização, nomeadamente na arquitectura - em Angola assisti a isso mesmo - o Polana é um exemplar fabuloso, parecendo que o tempo parou. Paradisíaco, com uma localização invejável, apetece permanecer por lá, indefinidamente.

catia samora disse...

Excelente post, Paulo. Quem me dera umas feriazinhas num hotel assim:)

Beijos

ana melrinho disse...

Paradisíaco! Dá, por certo, umas belas férias, e daquelas que eu gosto. Refastelada na praia, ou junto à piscina, no dolce faire niente:)
As vistas devem ser espantosas.

Beijos,

Gregoria disse...

Olá,

Com que então é aqui que te refugiaste:)
Compreendo a tua prolongada ausência do Olhares. Está um blog fantástico, com inumeros motivos de interesse.

Beijos,