Reaberto em 2015, com a mesma Gerência

domingo, 10 de junho de 2007

Às compras

Fantástica, surpreendente, um ícone, a mais emblemática do Marrocos, encantada, encantadora, atraente, exótica...

Tudo serve para adjectivar Marraquexe. A cidade fundada no século XI fascina por tudo: pelas cores, pelos sabores, odores, pelo povo, pelos sons, pelos contrastes, pelo exotismo, pela arquitectura, pelo branco de neve, que paira, de forma diáfana, no horizonte, no pico das Montanhas do Alto Atlas.

Saindo da praça já apresentada no post anterior, deixe-se perder pelos souks, com a sua panóplia de produtos expostos, onde milhares de lojas e tendas vendem literalmente quase tudo. Lá, regatear é uma arte sublimada por décadas de experiência. E que arte. Caso não saiba, obedece a uma forma padronizada. Ela se desenvolve segundo regras de comportamento e percepção, bem mais complexas do que aquilo que imaginamos. Não se assuste com a insistência dos vendedores, com o facto de um tentar falar mais alto do que outro, pois nos souks, a sobrevivência do comerciante depende disso: de ser visto. Lembre-se apenas que está noutro País, onde gestos mais efusivos não significam o mesmo na nossa cultura. Se, pura e simplesmente, não quiser comprar mesmo nada, diga firmemente: “la shukran” (não obrigado).


Não deixe de viver esta experiência, que é uma das mais fascinantes que se pode ter em Marrocos. Um conselho: experimente o tradicional chá de menta, ou, se for mulher, deixe-se seduzir pelas tatuagens de hena (pintura corporal usada em tatuagens não permanentes, feita a partir da tinta extraída das folhas da planta com o mesmo nome).

Novo conselho: antes de entrar nos souks, sente-se numa das esplanadas circundantes à Praça Jemma El Fna. Assista, num local privilegiado ao mundo fervilhante que se estende à sua frente. Vendem-se comidas (Fritos, coração de vaca…), couros, blusões, pulseiras, pão, caracóis, especiarias, frutos secos, chã, tapetes, etc.
É um mercado amplo com espectáculos ao vivo, saltimbancos, ginastas, acrobatas, domadores de cobras ao som da flauta, macacos a posar para a fotografia, pessoas a tirar dentes na rua, outras a vender e matar galinhas, passeios a cavalo de Kalesh, sapateiros e engraxadores, talhos ambulantes, enfim uma outra dimensão, a que não estamos habituados.

10 comentários:

joao nuno disse...

Sem duvida... ORIGINAL

Carlos Miguel Sarabando disse...

Magnífico passeio este, pelo meio dos mercados árabes, retratado de forma excelente. Até parece que sentimos os gritos, as vozes, a algazarra indescritivel. Excelente.

Armando Gil disse...

Excelente continuação do passeio a Marraquexe. Belas fotos, num cheirinho a um ambiente exótico. Fico com vontade de lá ir. Série excelente!

Alexandre Soares disse...

Embarco na onda dos elogios generalizados. Primeira vez aqui e estou agradavelmente surpreendido. Excelentes fotos (mas isso voces já sabem), bons textos e um óptimo layout. Parabéns pelo blog.

Marina Castro disse...

Está um belo blog de viagens. Gostei bastante de todos os artigos que escreveram. Parabéns e continuem com o bom trabalho.

P.S: E eu fui uma das que optei por uma hena:) Não em Marraquexe, mas em Fez, também em Marrocos

Fabi disse...

Deliciosa crónica, com belos pormenores e umas fotos esplendidas. Amei este destino exotico.

Maria Rosario disse...

Maravilhoso passeio este, pelas labirinticas ruas de Marraquexe. Adorei, em especial a foto da tatuagem. Excelente.

Muitos Beijos e votos de boa semana,

Fallen Angel disse...

Que grande viagem!
Somos completamente transportados para esse mundo como se estivessemos a caminhar pelas ruas movimentadas.

Madalena Brandão disse...

Bela viagem, numas ruas movimentadas, em que o frenesim se sente nas tuas palavras. Mais uma bela adição ao blogue. Voces dois estão em grande. Beijocas.

Paulo Ferreira disse...

É um outro Mundo. Diferente daquilo a que estamos habituados, de certeza. Mais rude, mais selvagem, mas também mais belo. Gostei bastante das fotos e do texto, que as vai enquadrando na perfeição.