Reaberto em 2015, com a mesma Gerência

domingo, 17 de maio de 2009

Grutas de Drach

Ressalvando o exagero, ir a Maiorca e não ver as grutas de Drach (Grutas do Dragão), é como ir a Roma e não ver o Papa. Reconheço que, a muitos, a simples menção do nome da ilha espanhola seja seguido de uma franzidela de nariz. Sim, eu sei. Aturar hordas de adolescentes ingleses, alemães e holandeses, totalmente alcoolizados, pode não parecer o melhor destino de férias. E não é.

Mas Palma de Maiorca não vive apenas desse [tremendo] estereotipo, algo pejorativo. Belas praias, hotéis excelentes e uma Catedral belíssima (mas isso é tema para artigo futuro].


Perto da Cala D'Or, a excêntrica formação de rochas torna o ambiente quase surreal, tamanha é a beleza do mesmo. Os muros das grutas, que se assemelham aos de uma catedral, são bem iluminados, com as estalactites e estalagmites a assumirem fantásticos contornos.


No final da visita, bem junto do Lago Martel [nome derivado do descobridor das grutas], somos presenteados, no amplo anfiteatro aí existente, com um espectáculo de música clássica. Luzes apagadas, com os músicos a tocarem as melodias a bordo de pequenos barcos, num ambiente intimista, à luz de velas estrategicamente colocadas. O melhor local, sem dúvida, da ilha. A valer a pena uma visita...

2 comentários:

Vagamundos disse...

De facto Maiorca tem o estigma das estâncias balneares. Mas já visitamos e as grutas de Drach valem a bem a pena. É uma pequena surpresa.
Abraço

Anónimo disse...

sim, sem duvida as grutas de darch são um local a visitar. e qualquer coisa de espetacular.