Reaberto em 2015, com a mesma Gerência

sábado, 15 de setembro de 2007

Once upon a time in America



Se existe uma cidade que ilustra bem o sonho americano é Chicago, pois de antro do crime passou a uma metrópole onde apetece viver e passear.

De morada de Al Capone e Scarface não perde Chicago a fama. Centro de contrabando comandado por impiedosos grupos de gangsters durante a época da lei seca, Chicago foi pátria de cenários que ainda hoje se reconstituem em cinema. Mas nem só estas personalidades ajudaram a eternizar a mesma cidade norte-americana que Frank Sinatra cantou. Com efeito, Chicago tem um encanto muito especial que lhe é muito próprio, já que se trata de um centro urbano onde é possível apreciar os mais inesperados e espantosos horizontes de sempre. Cidade cosmopolita, fervilha em cada esquina combinando arte, história, entretenimento, culinária e desporto numa cultura que não encontra paralelo em nenhum outro ponto do mundo. Do glamour e grandeza da Michigan Avenue aos teatros de Belmont e à academia da Universidade de Chicago, passando pelo famoso Lincoln Park, a cidade desperta, convida e inebria quem nela se passeia e por ela se deixa envolver.

Mas, o que é que seduz, realmente, as gentes deste pólo cultural que no Verão conta com temperaturas muitíssimo altas e húmidas e no Inverno enregela a alma dos mais entusiastas? Para começar, não é qualquer um que suporta a vida neste centro que parece possuir uma vida própria e, por vezes, se revela caprichoso. É necessário ter-se, como ele mesmo, uma alma jazzística, pois nota-se um certo swing nas gentes que nas suas artérias vão desfilando. Chicago é terra de música, de blues, de uma inconfundível mistura de nacionalidades que se encontra na sua origem e que remete aos tempos em que irlandeses, italianos, alemães, polacos, mexicanos e asiáticos migraram do Sul dos Estados Unidos decididos a alcançar the real thing.

Ali desenvolveram uma cidade de espantoso estilo arquitectónico. As universidades orgulham-se de ver laureadas com o prémio Nobel não uma mas várias personalidades que, em tempos, frequentaram as suas salas de aulas. Um dos valores de que Chicago se orgulha é, por exemplo, Ernest Hemingway, o autor de O Velho e o Mar e de O Jardim do Éden, que na juventude viveu em Oak Park, um subúrbio da cidade. Chicago é também a pátria dos amantes do desporto.

Situada no nordeste do estado do Illinois, estende-se por 50 quilómetros ao longo da margem do lago Michigan. O centro histórico da cidade, por seu turno, o Loop (como lhe chamam os americanos), herdou o nome dos percursos ferroviários que o cercam, ao passo que os seus edifícios constituem uma cartilha da arquitectura americana. A intersecção das grandes avenidas apresenta um turbilhão de números e permite vertiginosos passeios sem que um único nome de rua surja a recordar uma ou outra memória. É a partir daqui que Chicago se organiza e cresce com o olhar poisado nos quatro pontos cardeais.

Um dos pontos fortes desta cidade internacionalmente famosa é a variedade de estímulos culturais que proporciona. Uma vez em Chicago, todo o tempo é escasso para que seja possível aproveitar-se ao máximo as ofertas que conjuga, de modo a sentir-se o cheiro de uma essência tão vasta quanto especial. O Art Institute representa, por si mesmo, uma razão válida para visitar Chicago. Trata-se de uma das principais galerias de todo o mundo que conta com uma magnífica colecção abran-gendo cinco mil anos de arte. A poucos quarteirões do Art Institute ergue-se o Centro Cultural que organiza, frequentemente, concertos musicais de livre acesso e cujas galerias, exposições, design e colecções permanentes fazem da cidade um local onde a inovação e a troca cultural se anunciam fervilhantes.Por outro lado, ir a Chicago e não passar pela Magnificent Mile ou, se preferir, a "Mag Mile", é quase como ir a Roma e não ver o Papa. Trata-se de uma enorme avenida que não é mais do que o paraíso dos curiosos. Ali encontra-se de tudo, desde as mais refinadas e conceituadas lojas, às cadeias internacionais desta ou daquela marca. Talvez a sua maior referência seja o Tribune Tower, uma obra-prima de estilo gótico construí-da em 1925 que alberga o vencedor de um prémio Pulitzer, o jornal Chicago Tribune. É engraçada a história da sua construção. Parece que Col Robert McCormick, o excêntrico proprietário, exigiu aos seus jornalistas que lhe trouxessem pequenas pedras de vários monumentos e edifícios famosos de todo o mundo. Uma vez completada a "colecta", McCormick encaixou as pedras na face exterior da base do edifício...

Mas nem só de construções vive Chicago. Junto à margem do Lago Michigan, o Navy Pier, um enorme parque que serve de animação à cidade, é considerado como um dos seus ex-líbris. De 1918 a 1930 serviu como cais municipal da cidade, mas mais tarde tornou-se a primeira morada da Universidade do Illinois em Chicago e, dos anos 70 até finais da década de 80, sofreu enormes degradações e foi evitado pela população. Actualmente, encontra-se convertido numa espécie de parque de diversões com especial enfoque para os mais pequenos. Serve de local de encontro e constitui o destino ideal de qualquer folia, tratando-se de um verdadeiro ponto alto nas atracções da cidade. Outro local de grande interesse é o Lincoln Park onde, a qualquer hora, se encontra sempre alguém a acelerar nos patins em linha, em brincadeiras com os filhos, a passear os cães ou a perder a cabeça tentando encontrar um sítio para estacionar. É aqui que se encontra o Biograph Theater, onde o gangster John Dillinger foi alvejado pelos agentes do FBI, em 1934.

Ainda no mesmo espaço ergue-se um jardim zoológico fundado em 1868 onde lagartos, tartarugas, morcegos e aranhas encontram o seu próprio paraíso. Este zoo orgulha-se por ser pioneiro no sucesso da reprodução de gorilas em cativeiro, com nada mais nada menos do que três dúzias de nascimentos registados desde 1970. Ali, também é frequente apanhar-se chimpanzés totalmente absorvidos a pintar páginas e páginas de papel a lápis de cores. Como não poderia deixar de ser num país como a América, é lógico que as suas imagens costumam ser seleccionadas e expostas em galerias... Depois de um périplo por uma das mais famosas cidades do mundo, pelos tempos da lei seca que deram lugar à chegada de profundos estímulos culturais que fazem de Chicago um must, o melhor é mesmo apanhar um avião e deixar-se levar pelo old american way.

Como ir
Existem várias companhias que realizam voos para Chicago.

Onde Ficar
Dos mais luxuosos aos mais acessíveis, Chicago acaba sempre por ter ofertas de alojamento para quem ali chega sem hotel marcado.Best Western — Hawthorne Terrace(773) 244-3434(888) 675 - BESTPark Brompton Hotel(773) 404-3499(800) PARK - 108Surf Hotel(312) 528-8400(800) SURF - 108The Blackstone Hotel(312) 427-4300(800) 622-6330The Drake Hotel(312) 787-2200(800) 55 DRAKEHoliday Inn Chicago City Centre(312) 787-6100(800) HOLIDAYOnde ComerBossa Nova1960 N. Clybourn(312) 248-4800Óptimas tapas e música ao vivo muito animada.Surf and Turf400 N. State Street(312) 467-1600Tanto os pratos de carne como de peixe apresentam uma variedade de escolha muito variada. O piano bar é também um ponto forte deste restaurante.The Saloon Steakhouse200 E. Chestnut(312) 280-5454Um dos melhores restaurantes de Chicago, com uma óptima carta de vinhos.O’Briens Restaurant and Bar1528 N. Wells Street(312) 787-3131Bifes suculentos, marisco fresco e um piano bar de fazer esquecer as horas que vão passando.Marina 300300 N. State Street(312) 321-0786Carne, massas e marisco de boa qualidade num espaço com vista sobre o rio Chicago.

Visitar
Shedd Aquarium
No Shedd Aquarium pode apreciar uma das mais impressionantes colecções de anfíbios e outras criaturas marinhas. Construído em 1929, conta com 200 tanques e um oceanário de vários andares.

Adler Planetarium
Um ponto de interesse que se destaca principalmente pelos espectáculos multimédia tremendamente realistas que dão a conhecer os vários planetas do nosso sistema, bem como outras estrelas e galáxias. Conta ainda com notáveis exposições temáticas. A não perder!

Field Museum of Natural History
Um museu de História Natural cuja visita se torna indispensável. Trata-se de um dos ex-líbris de Chicago. Dos tempos mais antigos à modernidade, o Field Museum orgulha-se de integrar na sua colecção um esqueleto de um Tyrannosauros Rex, baptizado pelos proprietários como Sue.
Chicago Botanic Garden
Um museu vivo de 300 acres de extensão que oferece a beleza de mais de 20 jardins independentes entre si. Entrada gratuita.

Block Gallery
A Block Gallery é o museu de belas-artes da Universidade Northwestern. Mantém um ambicioso e dinâmico calendário de eventos ao longo de todo o ano. Aqui também poderá visitar uma das melhores colecções de escultura contemporânea da região.

Pritzker Park
Um parque localizado no coração da cidade criado por Ronald Jones, em colaboração com a Câmara de Chicago, que conta com um bosque de árvores e uma parede de granito inspirados no Banquete de René Magritte.

Biblioteca Harold Washington
Uma das maiores bibliotecas de todo o mundo, esta gema de Chicago oferece excelentes serviços de informação, organiza programas culturais e muitas exposições ao longo de todo o ano.

Museu da Ciência e da Indústria
Eis um espaço onde os visitantes podem apreciar as exposições de um modo interactivo. Aqui é possível visitar um submarino alemão e participar em simulações de voos em vários modelos aéreos. O museu conta ainda com um espaço de cinco andares onde é fácil imaginar que se passou para uma dimensão espacial ou para o mundo submarino. Algo a não perder.

Castelo Encantado
Chicagoland é, por excelência, o espaço de diversões a visitar, com todas as sensações que as novas tecnologias permitem experimentar.


Informações úteis
Para entrar no país é necessário apresentar-se passaporte válido e visto.O El, comboio que circula acima do nível terrestre, é o mais rápido e económico modo de transporte entre aeroportos e centro da cidade. Há sempre imensos táxis desejosos de o levarem ao seu destino, embora os preços efectuados sejam muito elevados. A melhor forma de se deslocar em Chicago é a pé: as ruas são planas, fáceis de dominar e é assim que melhor se poderá apreciar a diversidade de interesses que a cidade tem para oferecer.

15 comentários:

ana maria rocha disse...

Sou fascinada pelos imensos espaços americanos, sejam cidades, vilas ou as planícies imensas, a perder de vista. Adorei e devorei o artigo, retratando bem a cidade, uma dessas metrópoles que devem ser fascinantes de visitar.

Beijos

ps: e fotos no Olhares, tás de greve?

josé reis disse...

Por terras do tio Sam, desta vez. Foi uma boa escolha, pois as metrópoles sempre me fescinaram e para os "maluquinhos" das fotografias, dão óptimas possibilidades de clicks.
Só faltou uma mesmo do Michael Jordan:)

Abraço,

luis ferreira disse...

Espantosa é a oferta cultural da cidade. Um nunca mais acabar de sugestões, tão diferente da parvónia que é este país. Ainda emigro um dia destes!

paulo ferreira disse...

Paixão antiga, os States. Já lá estive, mas tinha apenas 2 anos:(
Não me lembro de nadinha, o que é pena, pois os meus pais ainda passaram por algumas das emblemáticas cidades norte-americanas. Quem sabe, um dia, eu sigo-lhes as pisadas?
Chicago fará parte do roteiro!

Lurdes Saraiva disse...

A cidade do vento, como lhe chamar, ficou fascinante neste relato. A despertar o desejo...

madalena brandão disse...

Uma cidade em grande, à americana, por certo. Mas, se alguem pesa k aquilo é so arranha-céus, basta dar uma vista de olhos á oferta de diversão/cultural. Mete qualquer cidade que se preze a um canto.

Bom fim de semana

Maria Rosário disse...

Título cinéfilo, que fica a condizer com a cidade. Mais um belíssimo artigo, que se lê de duas penadas.

Beijos

miguel tomás disse...

Mais um fantástico destino. Parabéns pela escolha.


Abraço,

jussarita leite disse...

Fabulosa a descrição de Chicago, de Wind City, uma metrópolo moderna, com uma imensidão de polos de interesse. Nunca lá fui, mas já visitei outras cidades americanas.

Prometo mandar um artigo em breve.

Beijos,

edna dias disse...

Ai os States. A América. Acho k é o sonho de metade dos brasileiros, emigrar para lá:)

Gostei do post. Muito completo!

maria manuela disse...

Pois, mundos sonhados é mesmo o titulo indicado para esta rubric. Só mesmo em sonhos é que se viaja por esses locais encantatórios.

Beijos,

gregoria correia disse...

Ora, a mim enchia-me as medidas dar uma saltada ao outro lado do Atlântico. Cenários majestosos, paisagens diferentes como se mudassemos de país, enfim, magia à solta.

Beijos

raul coelho disse...

Belo artigo, amigo Paulo, igual ao que nos já habituou. Não me canso de vos elogiar, mas acho que a qualidade que vocês dois construiram merece ser elogiada.

Abraço,

sandra miguel gomes disse...

Comungo da ideia: belo artigo, destino fantástico. Corresponde por inteiro à minha ideia de férias.

Beijos

Raul Coelho disse...

Muito estranho aparecerem coment�rios com o meu nome e link, sem eu ter proferido nada.
N�o sei quem seja o brincalh�o que est� utilizar v�rios nomes de usu�rios dos olhares, talvez sem nada que fazer.
Raul Coelho