Reaberto em 2015, com a mesma Gerência

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

O guia da boa vida

Acordei algo enfadado, é certo. Vai daí, resolvi fazer uma mini-revolução, na habitual agenda de acontecimentos, aqui escalpelizados religiosamente ao dia 5. Continua o artigo, no entanto, a manter-se fiel às linhas mestres estipuladas anterioremente. É, estou certo, um bom exemplo da "boa vida" que muitos oportunamente levam, libertando-se das amarras de quotidianos cinzentos e iguais, dia após dia, após dia, após dia....

Genuíno Madruga, velejador dos Açores que já deu volta ao Mundo, partiu, no início deste mês da ilha do Pico para uma segunda viagem de circum-navegação. A bordo do iate "Hemingway" leva mantimentos para passar seis meses sem ir a terra, 200 quilos de livros sobre o arquipélago e roupa para crianças desfavorecidas de Cabo Verde, primeiro ponto de paragem nesta fabulosa aventura.

Para este pescador de 57 anos, será uma viagem de saudade, destinada a fazer contactos com pessoas que conheceu na primeira aventura, entre 2000 e 2002. Genuíno Madruga assume também um espírito de missão e de ajuda para com os mais necessitados. "Eu já passei em Cabo Verde. Conheço a realidade que lá se vive e sei qual é o valor que uns calções ou uma t-shirt, embora usados, têm naquelas ilhas", disse à agência Lusa. Os porões do seu barco vão carregados de água, "a única bebida" permitida a bordo.

Nas vésperas da partida, não escondia algum nervoso miudinho, natural para quem se prepara para uma longa viagem e não se quer esquecer de nada, nem mesmo dos pormenores que fazem a diferença. "Há sempre coisas para se fazer e, das duas uma ou se fazem, ou seguimos assim mesmo", admitiu com alguma ironia, quando questionado sobre os preparativos da viagem. Não parte com a "ilusão de outras paragens", porque entende que os Açores são "ilhas únicas no mundo", que oferecem "óptimas condições de vida".

"Vou apenas tentar fazer aquilo que fez um grande amigo meu, infelizmente já falecido, Marcel Bardiaux, que passou quatro vezes pelo Cabo Horn sempre sozinho", recorda Genuíno, admitindo que a travessia desse ponto, no extremo sul da América do Sul, constitui o principal desafio desta aventura. Antes, porém, tenciona passar pelo Brasil, pelo Uruguai e pela Argentina. Também irá à Ilha de Páscoa, à Polinésia Francesa, a Samoa, a Fiji, à Austrália, a Timor, à Indonésia, às Ilhas Maurícias, a Madagáscar, e à Ilha de Santa Helena, prevendo regressar aos Açores em Maio de 2009, por altura dos festejos em honra do Espírito Santo. Tudo isto a bordo de um iate de 11 metros, que comprou especificamente para a primeira viagem de circum-navegação.

Resta-me apenas, em nome do blog, desejar boa sorte na viagem, a mais este aventureiro, mostrando o espírito inquebrável e inquieto dos portugueses, herança desses descobridores de outras eras, que palmilharam Mundo!

8 comentários:

Maria Rosário disse...

AH! Já vos estava a rogar pragas:)
Passei por aqui, de manhãzinha e nada. E pensei, querem ver que se estão a baldar?
Mas afinal não...
Gostei da variação. Sinceramente, de todas as rubricas, a menos interessante é a agenda. Hoje está colmatada essa falha. Mais uma bela história de um aventureiro - cada vez são mais - e de uma viagem fascinante. Esta aventura dava um belo livro, repleto de fotografias fantásticas, estou certa.

Beijos,

carlos mendes disse...

Boas,

Por acaso, permito-me discordar da Maria Rosário. Eu gosto da agenda mensal, pois permite-me ficar a par de acontecimentos relevantes, tanto cá como lá fora. E, como todos têm os links respectivos, é uma forma de ficarmos a conhecer a fundo museus, festivais e outros só à distânca de um click.

Abraço,

manuel araujo disse...

Com k então estão de malas aviadas outra vez? Rica vida!

Por mim, vão direitinhos à Irlanda, com paragem em Dublin.

Até ao regresso!

manuel araujo disse...

Agora sim, o seu a seu dono. Este é que é daqui:
"Não me espantaria nada que um dia destes fossem vocês a ser aqui relatados:)
Convenhamos que, com essas viagens regulares, já têm umas aventuras para contar.
Para mim esta não dava. Enjoo com facilidade e isso ía ser um tormento:)"

Abraço,

paulo ferreira disse...

Mais uma aventura, e que aventura. É preciso, acima de tudo, coragem. Sozinho num barco, enfrentando ventos e marés, sem qualquer companhia, só pelo gosto da aventura e também da solidariedade. É bonito ver que existem ainda pessoas assim.

nota: E o destino? Londres, claro. O centro da Europa, uma cidade fascinante. Por isso, boa viagem.

paulo grave disse...

Uma viagem destas é que eu precisava de fazer. Conhecia meio mundo de uma só vez.

Olha lá, queres alguma coisa de Agadir? E não, não me craves a história da viagem, que eu não tenho jeito para isso.

raul coelho disse...

Amigo Paulo, mais um belo artigo, que se coaduna com o resto do blog. Mais um aventureiro dos tempos modernos, numa missão solitária que merece ser seguida.

Abraço,

renata ristori disse...

Mais uma aventura - agora parece k é moda - de outro aventureiro dos tempos modernos, capaz de ousar. Uma história k dará, por certo, um livro interessante. Confesso k eu não seria capaz de me aveturar assim, mar dentro, sozinha.

Beijos